Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por um outro lado

Escritora frustrada. Mãe babada.Trapalhona por excelência. Gaja a quem tudo acontece. Adora escrever e fotografar sobre isso, apesar do jeito duvidoso. Experimentou Um lado. Agora, experimenta Por Um Outro. Será o avesso o lado certo?

Por um outro lado

#Aquele momento em que... pancada (não) resolve

 

A marcha até pode ter sido lenta... já a violência foi bem rápida. 

 

Surpresa? Não! Os ditos profissionais da estrada nunca nos surpreendem. Para distribuir pancada, com ou sem chapa incluída, é só com eles. 

 

Mas, não sei se os informaram que partir a tromba aos colegas, só porque trabalham para a concorrência, não dá direito a mais direitos.

 

Por um outro lado

#sou mãe… e o que é que eu percebo disto? Segunda-feira... yeah!

resmungar.jpg

 

Sem exagero, ontem, a Pipoquinha passou mais de cinco horas a resmungar. 

 

Não estava a chorar. Estava a refilar. Também chorava, ocasionalmente, mas era mesmo refilar. Numa ladainha ranzinza que, ao fim de uma hora, o meu cérebro de mãe é obrigado a aceitar a derrota, de não conseguir apaziguá-la, e auto-desligar. É como se fosse uma surdez selectiva, e obrigatória, em prol da minha sanidade mental.

 

Não conseguia calá-la. Conseguia acalmá-la um pouco, para que não passasse de resmunguisse para choro, e pouco mais. O que faço quando o colinho de mãe não funciona?

 

E, qual era o motivo de tanta resmunguisse?

 

Dentes a sair. Depois, juntou-se sono... porque quem resmunga não dorme, a não ser que durma a resmungar... Depois, veio a fome. E, aí, pensei que depois do biberão, fosse dormir... Pois, não. 

Depois, voltaram os dentes... Ah! E porque, para a Pipoquinha ontem era segunda-feira. Segunda-feira que, no Universo infantil, é o dia das birras provocadas por deixar de ter a paródia do fim-de-semana. Como voltámos no sábado de casa dos avós, para ela, ontem era segunda-feira.

 

Quando fomos para o quarto ela ainda rezingava. Não queria fechar os olhos. Não queria ter os braços para baixo. Não queria estar de barriga para cima. Não queria dormir. Queria palrar... e esfregar as gengivas com os dedos.

 

Já, eu... parecia um zombie... e, em piloto automático.

 

Cospe chucha. Enfio chucha. Destapa-se. Tapo-a. Enfia mãos na boca. Afasto mãos da boca... Quarenta minutos (de luta) depois, ela (finalmente!!!!) adormece.

 

Passado nem quinze minutos, a vizinha põe o Roberto Carlos a cantar...

 

A nossa sorte é que a Pipoquinha estava para lá de cansada e não acordou. E, que sorte a nossa! Ou a vizinha teria um novo embalo musical... mesmo por cima da cabeça dela... numa daquelas melodias que não deixaria ninguém indiferente.

 

PS: A senhora será surda? É que a minha Pipoquinha, quando está ranzinza, ouve-se no prédio todo...

 

Por um outro lado

Bom dia! Um café com amor, por favor.

café com cenas.jpg

 

Bom dia! Um café com amor, por favor...

E, como é segunda-feira, podem atestar de pinga... Do género mousse de café com cheirinho.

 

Como a minha segunda-feira foi ontem... vão poder ler mais sobre isto mais tarde... duas segundas-feiras por semana é dose. Por isso, sai uma dose de cheirinho. Ou, no meu caso, um café duplo.

 

A imagem retirei do catálogo da Kasa (ler mais aqui).

Outra daquelas ideias originais foi introduzir tabelas de informações muito úteis que podem ser acedidas e impressas online ou, para os maluquinhos do papel como eu, recortadas e coladas na porta do frigocenas.

 

Por um outro lado

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D